Embalagem a Vácuo: Inovação na Conservação

Embalagem a Vácuo: Inovação na Conservação

Cada tipo de alimento possui necessidades específicas, principalmente quando se diz respeito à armazenagem, conservação e transporte. No entanto, a embalagem a vácuo, não só aumenta e facilita esses quesitos, como também se adequa para muitos produtos comercializados.

Com a função de revestir e proteger os alimentos de ações externas, as embalagens também são a melhor forma de atrair a atenção do consumidor. Confira agora quais seriam as vantagens da embalagem a vácuo para o seu negócio.

Sobretudo, o que é embalagem a vácuo?

O método da embalagem a vácuo possui dois processos: a vácuo e atmosfera modificada. O embale a vácuo consiste na retirada de todo o ar atmosférico existente no invólucro, impossibilitando que o mesmo volte para dentro da embalagem. Ao contrário do processo de embale de atmosfera modificada, visto que o ar atmosférico é substituído por uma mistura de gases otimizados, capaz de controlar o desenvolvimento de microrganismos.

Esses procedimentos garantem maior conservação do alimento, uma vez que a maioria das bactérias e fungos responsáveis pela degradação da comida são aeróbicas, ou seja, necessitam do ar para sobreviver. Logo, além de impossibilitar a proliferação de microrganismos, também diminui a oxidação dos alimentos e preserva as propriedades organolépticas.

Quais as vantagens para a empresa?

Complementando os benefícios citados anteriormente, o aumento da vida útil dos alimentos não só oferece menos desperdício no estoque e transporte, como também aumenta o alcance de distribuição. Ademais, todo o manuseio do produto se torna mais seguro, uma vez que o isolamento produzido evita qualquer tipo de contaminação, ou seja, mais segurança e higiene.

Outra vantagem interessante, é que os produtos embalados à vácuo possuem seu tamanho reduzido, sendo de extrema importância para as etapas de armazenagem e transporte, por certamente resultar otimização do espaço.

Acrescido a tudo isso, é válido ressaltar que as embalagens por serem normalmente transparentes, transmitem credibilidade e despertam o desejo de compra no consumidor. Como ainda, os produtos selados a vácuo passam a ter validade de 3 a 5 vezes maior, podendo durar ainda mais para alimentos que foram cozidos.

Como funciona o processo de embale?

Primeiramente, o produto é condicionado na embalagem, em seguida passa pelo processo de retirada total do ar atmosférico ou substituição dele por gases controlados. A partir disso, por meio do aquecimento do invólucro, ocorre o processo de selagem. Nota-se que o produto final deve ser armazenado de acordo com as exigências dos alimentos, por outras palavras, sempre que necessitarem de condições específicas de temperatura, devem ser armazenados no refrigerador ou freezer, mesmo se embalados a vácuo.

É de salientar que o produto seja condicionado em material apropriado, pois a falta do mesmo, sem dúvida pode permitir aumento da pressão, causando rompimento e constituindo entrada de ar.

Quais alimentos podem ser embalados a vácuo?

  • Grãos, Castanhas, Sementes e Cereais – seja eles in natura, triturados ou moídos, todos podem ser embalados a vácuo. Esse método permite que estes alimentos permaneçam frescos e com textura crocante por mais tempo.
  • Verduras, Legumes, Raízes e Tubérculos* – nesse caso, alimentos que possam vir a ser “esmagados” pelo vácuo, surge a necessidade de utilizar o processo de atmosfera modificada. Diferente das folhas, os legumes e afins podem ser embalados a vácuo.
  • Frutas* – é necessário levar em consideração não apenas a sua textura, mas também a forma de embalar. Frutas de texturas mais rígidas, aceitam melhor a vácuo, já as de texturas frágeis, seria interessando fatiar e congelar —para a vácuo – ou em ambas ser utilizado o processo de atmosfera modificada.
  • Carnes, Queijos e Embutidos – a embalagem a vácuo é ideal para o controle microbiológico, porém devem ser armazenados sob refrigeração ou congelamento.
  • Salgados e Massas – seja a massa fresca ou pré-cozida, podem ser embaladas a vácuo. Já os salgados, recomenda-se embalá-los semicongelados em atmosfera modificada.
  • Alimentos Cozidos – é de extrema importância que alguns alimentos cozidos, como feijão, sejam cuidadosamente tratados em atmosfera modificada, pois podem liberar gases.
  • Alimentos em Conserva – no caso de alimentos como palmito ou azeitonas, devem ser embalados a vácuo com o líquido.

*Constata-se que alguns tipos de frutas e de verduras devem ser descascados ou escaldadas e congeladas antes do condicionamento a vácuo, a fim de evitar a liberação de gases que oxidem o alimento.

Quais as vantagens para o consumidor?

Nota-se que cada vez mais os consumidores buscam alimentos de qualidade, tanto no quesito nutricional quanto na conservação. Ademais, a pressão realizada durante a selagem das embalagens a vácuo, não só preserva o sabor marcante dos alimentos como também reduz a perda nutritiva. Além disso, podem reduzir ou até mesmo eliminar o uso de conservantes, sendo de extrema importância para a saúde.

Outro benefício bastante atrativo, é o fato de que esse tipo de condicionamento proporciona segmentação dos produtos em porções menores, por isso poderão ser consumidos em uma única vez, assegurando menor desperdício e maior economia. Ainda temos os alimentos que costumam ser cozidos ou pré-cozidos como por exemplo, carnes e massas, com certeza facilitam no preparo para aqueles que possuem a rotina agitada.

Desse modo, a embalagem a vácuo se mostra uma nova tecnologia tendente no mercado alimentício. Por isso, investir nesse método é uma excelente forma de alavancar seu negócio!

Quer saber mais sobre Embalagens? Nós podemos te ajudar!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *